terça-feira, 17 de outubro de 2017

PERDA DE ABELHAS - GOVERNADOR PARTICIPA DE SIMPÓSIO NACIONAL


Piauí é destaque na produção apícola e sente reflexos na queda da produção.


O governador Wellington Dias participou, nesta segunda-feira (16), da abertura do Simpósio Sobre Perda de Abelhas no Brasil. O evento, de caráter nacional e pioneiro na temática, reúne autoridades, pesquisadores e produtores do ramo até a próxima quarta (18) por meio de palestras e espaços deliberativos que vão de encontro ao problema da redução da população de abelhas no território brasileiro.
De acordo com Fábia de Melo, pesquisadora da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) um estudo regional identificou que no nordeste já existe uma perda de 20% da capacidade produtiva de mel. Os dados podem ser reflexos da Desordem do Colapso das Colônias (DCC). O fenômeno é caracterizado pela redução rápida da quantidade de abelhas operárias em uma colônia, mesmo com presença de crias e alimento.
“Trata-se de um fenômeno que acontece no mundo, no Brasil e está chegando no Piauí em que as abelhas perdem operários. Uma situação em que há uma queda na produtividade. O que queremos é descobrir as causas, se elas têm a ver com o clima, com a falta de chuvas, com o desmatamento e a consequente falta de flores. Se é problema com a água ou com agrotóxico. Esse encontro se reveste de uma importância muito grande para o Piauí e para o Brasil por buscar soluções para essa situação”, informou o governador Wellington Dias.
A conservação das abelhas é de extrema importância para a preservação ambiental e da biodiversidade, garantia de produção de alimento e geração de renda para apicultores.
No Piauí, a apicultura é uma área destacada. Atualmente o estado chega a produzir de seis a oito mil toneladas de mel por ano. “Isso acontece pelo esforço de aproximadamente 45 mil famílias com colméias em atividade e que trabalham como renda principal, ou como complemento de renda. Há necessidade de ter uma solução. O produto desse encontro vai permitir que o estado do Piauí possa ter uma programação de medidas para viabilizar a apicultura junto com a produção agrícola e outras áreas, convivendo a partir de uma pactuação”, revelou Dias.
Programação
Segundo o coordenador do simpósio, Bruno Sousa, a programação prevê painéis específicos voltados para os reflexos do cultivo de transgênicos sobre as abelhas, e dos defensivos agrícolas. “Vamos abordar a abelha no modo geral, mas vamos dar ênfase também a apis mellifera e a abelha africana, e a diversas abelhas sem ferrão, abelhas nativas também afetadas por esse fenômeno”, informou o coordenador do evento.
O simpósio conta com a presença de diversos profissionais de universidades de São Paulo, Bahia, Rio de Janeiro e do exterior, com a participação de pesquisadores franceses e norte-americanos.
Preocupação social
De acordo com a pesquisadora Fábia de Melo, as abelhas são responsáveis por 30%-90% da polinização nativa do Brasil e a polinização de dois terços dos alimentos de consumo humano. “A perda das abelhas tanto impactaria a nossa mesa, reduzindo a possibilidade de alimentos disponíveis e aumentando o preço dos que ainda estarão disponíveis como reduziria muito a biodiversidade, levando vários animais à extinção. Por isso, a importância de discutir esse tema”, explica.
Autoria: Valmir Macêdo
Portal gov. do Piauí

Nenhum comentário:
Escreva comentários

Posts Recomendados ×