Eventos

CASOS DE COVID-19 CRESCEM MAIS DE 550% NO PIAUÍ EM DUAS SEMANAS; ÓBITOS 300%


Foto: Cadu Rolim /Fotoarena/Folhapress

Valmir Macêdo

Em duas semanas, casos confirmados de covid-19 cresceram mais de 550% no Piauí, segundo dados da Secretaria Estadual de Saúde. 
Entre os dias 5 e 19 de abril foram registrados 107 novos casos confirmados de covid-19. O número de infectados aumentou em 558% em todo o estado. O número de óbitos triplicou (300%) de quatro mortes para 12 casos.
O perfil dos pacientes com testagem positiva é equilibrado. Pouco mais da metade (50,6%) são homens. Entre os casos de óbitos, o sexo masculino tem maioria mais expressiva (66,7%). 
Dos 158 casos confirmados de infecção pelo novo coronavírus, 77,93% são pessoas com idade inferior a 60 anos. A maioria (22,7%) são de pessoas entre 30 e 39 anos, seguidas pacientes entre 20 e 29 anos (19,31%).
O índice de jovens com menos de 29 anos com Covid-19 no Piauí é de 22,76%. Infectados com mais de 60 anos representam quase o mesmo percentual com 22,7%. Nesse domingo (19) foram confirmados óbitos de uma criançade de 13 anos e um idoso de 61 morrem infectados pelo novo coronavírus no Piauí
O Boletim Epidemiológico desse domingo (19), já contabilizava 24 municípios com casos confirmados da doença que já foi diagnosticada em pacientes de todas as regiões do estado. A maioria dos casos (cerca de 78%) é registrada em Teresina.
Em apenas duas semanas, o número de casos confirmados de Covid-19 na capital também cresceu mais de 500%, passando de 20 no domingo dia 5 de abril para 122 neste último domingo (19). Na capital, houve 5 óbitos decorrentes da doença e 8 pessoas estão em estado grave ocupando leitos de UTI, segundo boletim divulgado pela Fundação Municipal de Saúde (FMS).
Segundo Francisca Rodrigues, enfermeira do Comitê de Operações de Emergência (COE) da FMS, são vários os motivos que justificam o aumento de casos. “Há muitas pessoas que não estão seguindo as recomendações de prevenção do Ministério da Saúde. Além disso, estão sendo realizados mais testes rápidos na rede de saúde e houve aumento do número de laboratórios credenciados que realizam o exame”, diz.
A diretora de Vigilância em Saúde da FMS, Amariles Borba, alerta que, segundo a literatura científica mundial, é grande a frequência de pessoas com coronavírus que não apresentam sintomas. “Mesmo assim o paciente está infectado e é transmissor do vírus. Por isso, nem todo infectado vai estar apresentando sinais similares aos da gripe. É preciso que a gente considere que todos estão infectados e adote todas as medidas de prevenção”.

Pico da doença

As autoridades preveem um pico da doença no Piauí que começa nas duas últimas semanas de abril e deve durar até 15 de maio. 
“O aumento é esperado. Isso é o próprio conceito da curva. Esse conceito gera um pico de casos. Quando é esse pico? Ele varia. As projeções eram para o fim de abril e até meio de maio. Achatar a curva é atrasar o pico. Se eu mantenho as medidas de isolamento social eu consigo atrasar esse pico”, explica o infectologista José Noronha, diretor do Instituto de Doenças Tropicais Natan Portella,.

Principais comorbidades ou fatores de risco

Dentre os óbitos registrados no Piauí, a cardiopatia incluindo a hipertensão (52,94%) é a principal comorbidade registrada nos pacientes. Em seguida vem a diabetes (29,41%), pneumopatias (5,88%),  obesidade (5,88%) e doenças neuromusculares (5,88%).


Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.