Eventos

A COMOVENTE FOTO DO ÚLTIMO ENCONTRO DE MÃE E FILHA EM UTI, ANTES DE MORRER POR COVID-19


Uma mulher que viu sua mãe morrer ao lado dela no hospital depois que ambas pegaram Covid-19 pede às pessoas que tomem as precauções necessárias contra a doença.

Maria Rico, de 76 anos, que vivia na Inglaterra, tirou a máscara de oxigênio para falar com as duas filhas uma última vez, mesmo sabendo que isso apressaria sua morte.

Anabel Sharma descreveu o momento como "de partir o coração", mas disse que estava feliz por ao menos sua mãe não ter morrido sozinha.

Ela divulgou a última foto delas para aumentar a conscientização sobre o vírus.

Sharma disse que sua mãe morreu cerca de meia hora depois que a máscara foi retirada.

"Minha mãe pediu que tirassem a máscara dela e eles disseram: 'Assim que tirarmos, você não terá muito tempo'. Ela disse, 'sim, eu sei disso, mas já tive o suficiente'", lembrou.

"Passamos cerca de cinco minutos com ela quando ela conseguiu falar, depois ela perdeu a consciência. Ela nos disse que não tinha medo de morrer, que estava pronta. Disse que eu precisava lutar muito porque tinha os filhos em casa."

A irmã de Sharma, Susana, também foi autorizada a participar desse momento usando equipamento de proteção individual.

"Nós seguramos a mão dela até o último suspiro", disse. "Tenho algum conforto ao pensar que pudemos estar com ela e sei que também trouxe conforto à minha mãe."

Maria Rico morava na mesma casa que Sharma, o marido dela e três filhos (Noah, de 10 anos, Isaac, de 12 anos, e Jacob, de 22).

Sharma disse acreditar que um de seus filhos pegou o coronavírus na escola e que o vírus "devastou" a família em uma velocidade "assustadora".

"Gostaria de pedir às pessoas que sigam todas as precauções e pensem nos outros", disse ela.

Sharma e sua mãe foram admitidas no hospital Leicester Royal no mesmo dia de outubro, e Maria Rico faleceu em 1º de novembro.

O funeral foi transmitido ao vivo para Sharma, que ainda estava no hospital.

"Ela estava muito ciente do que estava para acontecer, sabia que não iria se recuperar e estava farta do tratamento", disse Sharma, que continua a fazer tratamento com oxigênio em casa porque seus pulmões foram danificados pelo vírus.

Ela descreveu a mãe como uma "avó incrível" que era "muito, muito obstinada".

Via  -  CARTA PIAUÍ

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.