terça-feira, 17 de junho de 2014

BRASIL PASSA SUFOCO E AMARGA EMPATE SEM GOLS COM O MÉXICO EM FORTALEZA

A Copa do Mundo no Brasil tem uma das melhores médias de gol da história. Até a tarde desta terça-feira (17), apenas dois jogos haviam terminado com menos de três gols no placar. Para infelicidade da torcida brasileira, o confronto entre Brasil e México foi o terceiro.


Na Arena Castelão, em Fortaleza (CE), o México não só impôs uma forte defesa, como também ameaçou no ataque e teve chances para vencer a partida. Apesar dos mexicanos terem comemorado o empate como uma vitória, o Brasil também não pode reclamar muito do 0 a 0, que acabou sendo justo.

Quem saiu no prejuízo foi a torcida, que voltou a cantar o hino à capela, como fez na capital cearense há um ano, também contra o México, na Copa das Confederações. No primeiro jogo de Copa do Mundo com a seleção brasileira no Nordeste, o calor da torcida chegou a ser abafado com gritos mexicanos e não foi suficiente para ajudar o time.


As duas seleções fecham o dia com 4 pontos, sendo o Brasil líder por conta do saldo de gols. Nesta quarta-feira, Croácia e Camarões encerram a segunda rodada no Grupo A. Porém, como perderam na estreia, não podem alcançar as duas equipes.

No dia 23, o Brasil decide sua classificação em Brasília (DF), contra Camarões. Na mesma data, o México enfrenta a Croácia.

Sufoco do começo ao fim

O melhor lance brasileiro no primeiro tempo foi a cabeçada de Neymar aos 25 minutos, com defesa de Ochoa em cima da trave.


Aos 40, o México teve uma chance com Vazquez, em chute de fora da área que passou perto da trave esquerda.

Três minutos depois, Ochoa foi forçado a fazer boa defesa quando Thiago Silva ajeitou para Paulinho chutar.

O sufoco aumenta

No intervalo, o substituto de Hulk (poupado do jogo por lesão muscular) foi trocado por Bernard. Felipão tentava por mais velocidade no ataque, para superar a forte linha de quatro defensores.

Mas foi o México que ofereceu mais perigo no início do segundo tempo. Três chutes fortes de fora da área não forçaram Júlio César a trabalhar, mas assustaram a torcida.

Aos 17 minutos, o Brasil teve uma chance em cobrança de falta com Neymar. A bola passou ao lado da trave. Felipão decidiu trocar Fred por Jô. Do lado mexicano, Miguel Herreta tirou Peralta e colocou Javier “Chicharito” Hernandez. Os dois times queriam o gol.


O Brasil melhorou. Aos 30 minutos Bernard achou Jô na grande área, mas a finalização foi ruim. O México ainda levaria perigo aos 34, mas o capitão Thiago Silva fez falta em Chicharito para impedir a jogada.

Aos 40 minutos, a melhor chance brasileira veio justo com Thiago Silva. Ele apareceu na pequena área e cabeceou a queima roupa. O goleiro Ochoa fez grande defesa.

Três minutos depois, Marcelo teve boa chance na lateral esquerda. Ao sentir a mão do marcador no seu ombro, caiu reclamando pênalti. Nada foi marcado.


William ainda entrou no lugar de Oscar, mas pouco pode fazer. Nos acréscimos, foi a vez de Júlio César ser forçado a defender um chute forte de dentro da grande área.


Fonte: Cidade Verde

Nenhum comentário:
Escreva comentários

Posts Recomendados ×