Eventos

PICOS – PI | CHUVA FORTE DEIXA RUAS ALAGADAS


 As instabilidade ou temporais que caíram na faixa sertaneja no Piauí são reflexos da atuação do principal sistema promotor de chuva do Nordeste.

A chuva desta terça-feira (16) na cidade de Picos chegou a 98 mm no intervalo inferior de 24 horas deixado algumas ruas completamente alagadas.

De acordo com o Professor de Climatologia da UESPI, Werton Costa, as instabilidade ou temporais que caíram na faixa sertaneja no Piauí  são reflexos da atuação do principal sistema promotor de chuva do Nordeste, que se chama Zona de Convergência Intertropical (ZCIT). A ZCIT estava um pouco recuada da costa nordestina, principalmente por causa da condição térmica do oceano Atlântico.

"As água do Atlântico estão abaixo da média, estão muito frias e as condições mais frias não geram vapor e consequentemente não  formam nuvem e  então chuva. Isso acabou bloqueando em dezembro e janeiro o vigor da estação chuvosa, retardando o início do período da estação", disse  Werton Costa.

O professor ainda ressalta que na atualidade está acontecendo um ligeiro aquecimento (ainda muito sutil) dessa água, o que tem proporcionado uma aproximação da zona de convergência e a formação de temporais .

"Inclusive esses temporais alinhados, eles se estruturaram do norte do litoral até o extremo sul. Nos últimos dois dias estamos registrando chuvas de Corrente a Parnaíba", pontuou  Werton Costa.

Em relação a chuva ocorrida em Picos o professor Werton Costa,  frisa que a faixa sertaneja foi muito beneficiada por núcleo ou nuvens de temporais expressivos, tendo como consequência o acumulado extraordinário e, que segundo a Rede Independente de Motoramente Estação 21,  caiu sobre a região 98 mm de chuva no intervalo inferior de 24 horas, uma chuva considerada severa principalmente por alagar as tradicionais áreas de acumulo d'água na cidade modelo.

 

 

As instabilidade ou temporais que caíram na faixa sertaneja no Piauí são reflexos da atuação do principal sistema promotor de chuva do Nordeste.

 

A chuva desta terça-feira (16) na cidade de Picos chegou a 98 mm no intervalo inferior de 24 horas deixado algumas ruas completamente alagadas.

De acordo com o Professor de Climatologia da UESPI, Werton Costa, as instabilidade ou temporais que caíram na faixa sertaneja no Piauí  são reflexos da atuação do principal sistema promotor de chuva do Nordeste, que se chama Zona de Convergência Intertropical (ZCIT). A ZCIT estava um pouco recuada da costa nordestina, principalmente por causa da condição térmica do oceano Atlântico.

"As água do Atlântico estão abaixo da média, estão muito frias e as condições mais frias não geram vapor e consequentemente não  formam nuvem e  então chuva. Isso acabou bloqueando em dezembro e janeiro o vigor da estação chuvosa, retardando o início do período da estação", disse  Werton Costa.

O professor ainda ressalta que na atualidade está acontecendo um ligeiro aquecimento (ainda muito sutil) dessa água, o que tem proporcionado uma aproximação da zona de convergência e a formação de temporais .

"Inclusive esses temporais alinhados, eles se estruturaram do norte do litoral até o extremo sul. Nos últimos dois dias estamos registrando chuvas de Corrente a Parnaíba", pontuou  Werton Costa.

Em relação a chuva ocorrida em Picos o professor Werton Costa,  frisa que a faixa sertaneja foi muito beneficiada por núcleo ou nuvens de temporais expressivos, tendo como consequência o acumulado extraordinário e, que segundo a Rede Independente de Motoramente Estação 21,  caiu sobre a região 98 mm de chuva no intervalo inferior de 24 horas, uma chuva considerada severa principalmente por alagar as tradicionais áreas de acumulo d'água na cidade modelo.





 PORTAL R10

 

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.