Eventos

GOVERNO DO ESTADO TRANSFERE R$ 16,5 MILHÕES PARA OS MUNICÍPIOS DO PI.


FONTE - PORTAL MEIONORTE
O secretário estadual de Saúde, Florentino Neto, disse que o Governo do Estado, transferiu na sexta-feira (31), de R$ 16,5 milhões para os municípios piauienses, referente à primeira parcela do cofinanciamento e de débitos de valores de transferência para a manutenção de Hospitais de Pequeno Porte (HPPs).
“Os recursos do cofinanciamento foram transferidos para as contas do Fundo Municipal de Saúde e os recursos para custeio estão sendo transferidos para as contas bancárias dos HPPs. Dessa forma, o Estado do Piauí cumpre o compromisso de sanar esse passivo dando essa contribuição, podendo estar injetando os municípios piauienses R$ 16,5 milhões”, falou Florentino Neto.
Somente para a Prefeitura de Teresina foram transmitidos R$ 3 milhões.
O governador Wellington Dias (PT) disse que o repasse de R$ 16,5 milhões vai ajudar os municípios piauienses combaterem a mortalidade infantil e materna.
Wellington Dias que que só reduzir a alíquota do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviço ( ICMS) não resolve o problema da carga tributária no país.

Wellington Dias declarou que, neste momento, o Brasil precisa é da aprovação da reforma tributária.
Acompanhado de empresários, o governador visitou uma fábrica em Teresina e defendeu a aprovação da reforma pelo Congresso nacional. Ele defendeu a proposta de reforma apresentada pelo deputado Baleia Rossi ( MDB/SP).
"O Piauí sempre foi a favor de movimentos  como este. No Fórum do Governadores, que será dia 11, em Brasília, vamos tratar disso. A proposta é a reforma tributária. Ela é bem mais ampla que o ICMS. Ela se encontra pronta para votação. O relatório do deputado Baleia Rossi. Demonstrou um passo grande. Não é fácil fazer que 27 estados cheguem ao um entendimento. E nós chegamos ao entendimento. Isso reduz a carga tributária", falou Dias.
O Piauí é criticado pela política econômica que tem aumentado os tributos. Wellington Dias  afirma que as medidas se deram devido a crise econômica.
"Queremos o fim da guerra fiscal. Isso reduz 18 tributos para três. É a lógica do tributo ocorrer onde se encontra o consumidor. Isso é no mundo inteiro. Reduz a carga tributária em aproximadamente 6%. É possível a redução do ICMS. Na reforma  está prevista para ter mais tranquilidade, um fundo de investimentos focado no desenvolvimento regional. Se o presidente, os empresários, governadores e  municípios trabalharem, podemos aprovar ainda esta semana", falou Wellington Dias.

Meionorte




Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.